terça-feira, 31 de agosto de 2010

Milton Ferreira recebe boa média do Voto Consciente


O vereador Dr. Milton Ferreira (PPS), candidato a uma cadeira na Assembleia Legislativa nas eleições de outubro, teve o seu mandato avaliado em recente levantamento feito pela ONG “Voto Consciente” com todos os vereadores paulistanos que concorrem a um cargo eletivo em 2010.

Segundo o estudo, Ferreira recebeu média de 6,70 pontos por sua atuação na bancada do PPS. Ele só ficou atrás dos vereadores Carlos Alberto Bezerra Junior (PSDB), que obteve 7,57 pontos, e Eliseu Gariel e Gabriel Chalita, ambos do PSB, com 6,97 e 6,94 pontos respectivamente.

Na seqüência, vieram os parlamentares Mara Gabrilli (PSDB), com 6,52; Penna (PV), com 6,42; Francisco Chagas (PT), com 6,39; Jooji Hato(PMDB), com 6,32; João Antonio (PT), com 6,29; Toninho Paiva (PR), com 5,96; Adolfo Quintas (PSDB), com 5,48; Netinho de Paula (PCdoB), com 5,43; Gilson Barreto e Ricardo Teixeira (ambos do PSDB), com 5,33; Marcelo Aguiar, com 5,19; Agnaldo Timóteo (PR), com 4,98 e José Olimpio (PP), com 4,01.

Milton Ferreira se licencia e Heida Li assume a cadeira de vereadora

Candidato a uma vaga de deputado estadual nas eleições de outubro, o vereador Dr. Milton Ferreira (PPS) pediu licença de um mês dos trabalhos exercidos na Câmara Municipal de São Paulo.

Durante esse período, ele será substituído, tanto na Comissão de Saúde quanto na CPI da Covisa, pela vereadora Heida Li, suplente do PPS.

Natural de Hong Kong, naturalizada brasileira, Heida Li, ou Li Siu Yuk, tem 56 anos, é viúva e entrou na política pelas mãos do deputado federal William Woo (ex-PSDB, hoje no PPS). Teve 13.170 votos nas eleições de 2008 e foi a terceira mais votada da bancada pepessista.

Líder do PPS comenta as audiências públicas do Orçamento 2011 e o aniversário da Mooca

Em discurso realizado na Sessão Ordinária da Câmara Municipal nesta terça-feira (31/8), o vereador Claudio Fonseca (PPS) comentou (às 15h20) o mandando se segurança que impossibilitaria a realização das audiências públicas do Orçamento 2011. Porém, mais tarde (17h30), a Prefeitura conseguiu derrubar a liminar e todas as audiências foram realizadas nas 31 subprefeituras da cidade.

O parlamentar também parabenizou, "não só aos moradores da Mooca, mas também às organizações, que fizeram um período de comemoração dos 454 anos de aniversário dao bairro, de origem operária, já teve sua vocação industrial, hoje é um bairro de moradia e também de serviços, um marco no desenvolvimento de São Paulo".

Veja abaixo a íntegra do discurso:

“Sr. Presidente, Srs. Vereadores, público que nos acompanha na galeria, telespectadores da TV Câmara, hoje, dia 31 de agosto, teríamos na Cidade de São Paulo, em cada uma das Subprefeituras, a realização de audiências públicas para discussão do orçamento programa 2011. Foi assim que votamos a lei de diretrizes orçamentárias, incluímos a participação popular através da realização de audiências públicas, nos diferentes espaços do território da cidade.

A portaria publicada pelo Sr. Prefeito organizou o cronograma com a realização de 31 reuniões, para a discussão do orçamento programa. Todas elas seriam no dia de hoje, a partir das 19h, com a obrigatoriedade de realizar uma discussão temática sobre o orçamento da Educação, outra discussão temática sobre o orçamento da Saúde e a discussão sobre o orçamento geral da Cidade de São Paulo.

Mas houve um mandado de segurança e o Juiz decidiu por suspender as audiências públicas, que seriam realizadas no dia de hoje, orientando que se faça uma nova reorganização do cronograma dessas reuniões, para que haja participação dos cidadãos de São Paulo, independentemente de sua localidade de moradia. O fundamento, o argumento, é de que aquele que mora em São Paulo, apesar de morar num bairro, vive em São Paulo e tem relação com os problemas gerais do bairro. Portanto, precisa ver o orçamento de forma global, planejada, porque não há medida que se aplique a Mooca, que não dependa de recursos arrecadados no conjunto dos moradores da Cidade de São Paulo.

Não sei se o Executivo vai entrar com recurso contra a decisão exarada pelo Sr. Juíz, mas somos favoráveis ao debate do orçamento, que é a peça principal, que dispõe sobre a aplicação das receitas. Ou seja, quanto São Paulo arrecada e como e onde gastará o recurso arrecadado, que compõe a receita global do Município.

A participação popular é reclamada pelos munícipes, e observamos durante a discussão do plano diretor da Cidade de São Paulo que, muitas vezes, não temos a participação desejada, o comparecimento desejado, inclusive, da totalidade dos Srs. Vereadores. Às vezes, chegamos numa determinada região e alguns pares fazem questão de dizer: ali é minha área de atuação. E muitas vezes não temos a presença desses Vereadores nem naquela discussão, que é muito importante para o plano diretor estratégico.

Hoje, estava preparado para participar de duas dessas audiências, Vila Prudente e Mooca e, se desse tempo, também participaria de outras, porque acho importante conhecer a construção do orçamento nas diferentes subprefeituras, mas ficaram suspensas as audiências públicas. É bom que as pessoas que nos assistem tenham conhecimento, porque elas poderiam se deslocar para uma dessas subprefeituras e chegando lá não haveria a audiência programada.

A segunda questão, quero aproveitar o restante do tempo para registrar meus cumprimentos, não só aos moradores da Mooca, mas também às organizações, que fizeram um período de comemoração dos 454 anos de aniversário da Mooca, um bairro de origem operária, já teve sua vocação industrial, hoje é um bairro de moradia e também de serviços, um marco no desenvolvimento de São Paulo.

A Mooca comemorou com várias atividades os seus 454 anos, para isso foram fundamentais todas as organizações, a Associação de Moradores e Amigos da Mooca (Amoamooca); o pessoal do Conseg; do Jornal da Mooca; Jornal da Zona Leste e da Folha, que embora atue mais na Vila Prudente, mas também tem uma boa relação com os moradores da Mooca; a direção do Clube Juventus, que cedeu espaço para a realização de atividades comemorativas.

Neste domingo, tivemos uma atividade bastante interessante e muito participativa no Moinho Santo Antônio. Cumprimento, inclusive, o proprietário que cedeu as dependências do Moinho Santo Antônio para a Amo a Mooca realizar um atividade que se estendeu do meio-dia às 19h com apresentação cultural, música, dança, cantores e conjuntos locais.

Na sexta-feira, no mesmo local, foi realizada outra atividade muito importante, organizada pelo Jornal da Mooca, a qual escolheu a Miss Mooca. Sr. Presidente, requeiro, regimentalmente, uma verificação de presença”.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Mundo do samba em festa: sessão solene marca os 25 anos da Caprichosos do Piqueri


Fotos - Gute Garbelotto / CMSP
O mundo do samba esteve em festa na noite da última sexta-feira (27/8). A Câmara Municipal de São Paulo, por intermédio do vereador Claudio Fonse
ca (PPS), prestou uma bela homenagem durante sessão solene que comemorou o Jubileu de Prata do GRC Bloco Caprichosos do Piqueri, tradicional agremiação da zona norte da cidade.


Na oportunidade, diversas personalidades do mundo do samba paulistano foram homenageados com o Diploma de Gratidão Figueiredo & Teixeira (lista abaixo), entre eles Royce do Cavaco (músico e intérprete de samba de enredo), Moisés da Rocha (radialista do Programa "O Samba Pede Passagem") e Kiko, músico do tradicional "Originais do Samba".





Fizeram parte da mesa as seguintes personalidades: Claudio Fonseca, vereador pelo PPS; Wilson Passarinho, presidente do Caprichosos do Piqueri; Kaxitu Ricardo, presidente da União das Escolas de Samba Paulistanas; Laurinha da Nenê, presidente da Embaixada do Samba Paulistano; Benedito Justino, representante da Velha Guarda do Samba e Duda Ribeiro, interprete e integrante da Embaixada do Samba Paulistano.

Comunidade

“São 25 anos vividos intensamente sob o brilho cintilante da 'lua roxa do samba'”. Assim, Wilson Passarinho, presidente do Bloco, iniciou o seu discurso. Emocionado, lembrou dos fundadores - os irmãos Ademar Figueiredo (Ademir) e José Camilo Teixeira (Zelé) – e rememorou com alegria passagens marcantes da agremiação da zo na noroeste da cidade.


Passarinho agradeceu o trabalho da comunidade do Piqueri, que ao longo dos últimos 25 anos ajudou a construir uma história de samba, alegrias e títulos: “Não só eu, mas toda a nossa comunidade está muito feliz pela festa. E eu digo isso porque ninguém faz nada sozinho; quem faz o Caprichosos, e quem fez com que ela chegasse aonde chegou, é a nossa comunidade”, disse.


Ao final, ele aproveitou a oportunidade para enaltecer o gesto de Claudio Fonseca. “Não tenho palavras para agradecer a iniciativa do vereador, político de reputação ilibada, transparente. Pioneiro em fazer uma sessão solene da Câmara em uma escola de samba”.

Passarela dos Sonhos

Professora, intérprete e embaixatriz do samba paulistano, Duda Ribeiro fez um belo discurso saudando os 25 anos da Escola. “O Caprichosos faz parte da tradição do samba de São Paulo. Palco de diversas histórias da nossa arte, de diversos festivais, é também espaço para os grandes compositores”, disse. “Tudo aconteceu aqui na quadra dos Caprichosos e tenho certeza de que continuará acontecendo. Parabéns, Caprichosos: luta, resistência, perseverança e alegria. Faz a festa na passarela dos sonhos”.

Presidente da Embaixada do Samba Paulistano, Laurinha da Nenê contou um pouco da trajetória do grupo de sambistas que conta hoje com diversos e valentes bambas do samba da cidade. Ela aproveitou para saudar o Caprichosos, desejando “muitas felicidades a toda comunidade”.


Kaxitu Ricardo Campos, presidente da União das Escolas de Samba Paulistanas (UESP), também enalteceu a iniciativa do vereador Claudio Fonseca pela homenagem a Caprichosos. “Milito no universo do samba há muito tempo e é a primeira vez que a Câmara Municipal faz uma sessão solene dentro de uma escola de samba”.


Importância social e econômica

Claudio Fonseca, autor da homenagem à Escola e admirador do samba de São Paulo, disse que o samba paulistano, e especialmente o sambista da cidade, merecem todas as homenagens, todo o apreço da coletividade.

O parlamentar lembrou ainda que o samba de São Paulo, além de possuir um importante contexto social , tem uma importância econômica para cidade.

“Como vereador, apresentei um projeto de lei que cria o programa das artes carnavalescas. Esse PL trará receitas para as escolas de samba, não somente para fazer o desfile, mas para formar professores da cultura popular, aqueles que vão transmitir para as nossas crianças e para os nossos jovens a nossa herança valiosa, que é a cultura afro-brasileira, fonte de inspiração”.


Homenageados

Figueiredo & Teixeira

Ademar Francisco de Oliveira – chefe de ala

André Luiz de Souza - tradicional componente;

Associação Independente Cultural Velha Guarda do Samba do Estado de São Paulo - Carlão do Peruche (Presidente);

Bartira Pereira de Oliveira – chefe de ala

Banda Marcial Trovão – Samba, Choro, Seresta e Música instrumental variada; Professor Paschoal;

Bento Alves de Mira Neto – Pelos relevantes serviços prestados ao Bloco;

Carlos Alberto de Souza (O Carlinhos Sebastian) - Atual Mestre de bateria;

Cátia Cristina Teixeira de Moraes – Representante do Dep. Feminino;

Doutor Vander de Melo - Compositor e Atual diretor jurídico;

Duda Ribeiro – Cantora e apresentadora Embaixadora do Samba Paulistano;

Eliete Bento Cesário – Secretaria do Dep. Feminino;

Embaixada do Samba Paulistano - Os guardiões do Samba Paulistano – Sra. Laurinha da Nenê (Presidente);

Escola de Samba Tom Maior;

Escola de Samba Mocidade Alegre;

Fausto Omar Assan – Tradicional Colaborador – adm. Do Shopping Center Pirituba

Gení Dudas de Oliveira – Representa tradicional família de componentes;

Hemerson Erminio dos Santos – Harmonia do Bloco – Ex-diretor;

Inajá Maria da Silva – Ex-presidente – Gestão 2000/2004;

Jessica Saccheto - tradicional componente;

João de Andrade (O “Coca”) Ex-mestre de bateria do Bloco;

Karina Cristina Severiano – ex-Porta Estandarte do Bloco;

Luzia Antônia da Silva Álvares - Líder Comunitária e Militante Social;

Maria Conceição da Silva – integrante da ala de compositores;

Maria Aparecida Cardoso – tradicional componente;

Maria Aparecida de Souza (Tia Cidinha) Antiga componente - Representante da Harmonia;

Maria Aparecida Severiano (Tia Cidóca)- Representante da Velha Guarda do Bloco;

Maria da Graça Garcez Dall’ólio – Representa Tradicional família de componentes;

Maria de Lourdes Alves de Oliveira – Guardiã do Pavilhão;

Maria Helena de Souza – Representante de Tradicional família de componentes;

Moisés da Rocha /Radialista Criador e apresentador do Programa “O Samba Pede Passagem”;

Presença da Ala Musical da Velha Guarda e da Embaixada do Samba e Outros Banbas;

Ricardo do Amaral – O “Boa Noite” – Representa tradicional família de componentes;

Sebastião Aparecido Rodrigues Santana – Rede Cultura de Televisão - Criador dos símbolos e emblemas do Bloco;

Kaxitu Ricardo – Presidente da UESP – União das Escolas de Samba Paulistanas;

Vilério Emidio dos Santos (O Pitica) - Ex presidente - gestão 2005/2009;

Vitor Eduardo Perpetuo de Jesus (Vitor Divinal)- Interprete oficial do Bloco;

Wellington Cruz de Souza;

Rosa Lúcia Cândido;

José Carlos Lopes – Carnavalesco do 1º desfile Oficial em 1989;

Rosanda da Silva (Pitu) – Componente Emérita;

Osvaldo Japonês – Fotógrafo dos Desfiles Oficiais do Caprichosos;

KIKO - cantor, compositor, produtor musical – integrante dos Originais do Samba;

Royce Do Cavaco – cantor e compositor – intérprete de samba enredo;

Maurício Coutinho – jornalista e historiador cultural afrodescentes;

Silas de Oliveira – Micro empresário e Ativista Cultural;

Deneval Vieira dos Santos – Ativista Esportiva e Cultural;

Daniel Cabana – Músico e ativista;

Mauri de Noronha – Música, compositor e ativista cultural;

Dr. José Mendes Ferreira Gelejú Adelabu III – Obá Mendes – Organizador da Tradicional Festa do “Boi Itá Ode” (Festa da Fartura);

Sandra Deco;

José Roberto da Purificação – In Memorian (Histórico ativista político e militante do movimento popular na Região Noroeste);

Professor João Ferreira Mota – Fórum Pró Metrô Freguesia/Brasilândia;

Dr. Alcídio Boano – Conselho Coordenador de Sabs;

José Ferreira Magalhães – Associação Esportiva Cultural Bandeirantes;

João Terra – Músico, Cantor, Compositor e Ativista Cultural.

Cleusa Amarante - Produtora e Pesquisadora Cultural;

Projeto Cultural Samba do Buraco do Sapo;

Rubens de Almeida - Militante e Ativista Cultural - Work Telemarketing.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Frente do Cooperativismo delibera ações para o setor

Com a presença de mais de 250 cooperados, e dezenas de cooperativas, foi realizada na manhã desta quinta-feira (26/9) a primeira reunião da Frente Parlamentar de Apoio ao Cooperativismo Paulistano (FRENCOOP Paulistana). O encontro, promovido pelo vereador Claudio Fonseca (PPS), presidente da Frente, aconteceu no Plenário Prestes Maia da Câmara Municipal.

Participaram da mesa de trabalhos, além de Claudio Fonseca, os vereadores Agnaldo Timóteo (PR), Senival Moura (PT) e Jamil Murad (PCdoB).

Decreto 55.938

Em debate, o Decreto 55.938 do Governo Estadual, que proíbe as cooperativas do Estado de São Paulo a participarem de licitações públicas. A grande maioria dos presentes pede para que o governador Alberto Goldman (PSDB) revogue o Decreto.

“Não houve um comprometimento dos parlamentares do Estado para atentar, vigiar, a publicação desse Decreto. Agora, a situação está muito mais difícil”, analisou o advogado Fábio Godoy Teixeira da Silva, do escritório Godoy Teixeira Advogados Associados. Para ele, ações como a Frente Parlamentar podem ajudar a derrubar o Decreto 55.938.

“É importante que as cooperativas busquem, individualmente, os seus interesses atacando frontalmente essa violação constitucional. Existem vários dispositivos constitucionais que garantem a participação das cooperativas em licitações”, afirmou.

Godoy pediu que a Frente Parlamentar atente-se para que o “erro não seja repetido no município de São Paulo”. “Algumas cidades do Estado já entendem que o Decreto abrange as administrações públicas municipais. Então, é necessário que se evite o efeito cascata”, lembrou.

Já o advogado Antonio Otero, presidente da Comissão “OAB vai à Faculdade”, afirmou que 1/3 do transporte coletivo na cidade - umas das forças do setor cooperativista - transporta mais pessoas do que todas as linhas do metrô. “O cooperativismo, efetivamente, não é tratado de maneira adequada”. Para ele, o setor foi “escolhido a dedo para ser punido”.

Mobilização

O líder do PPS na Câmara, Professor Claudio Fonseca, informou que já está em estudo jurídico a apresentação de um projeto de lei pela não incidência de tributos às cooperativas.

O vereador explicou aos presentes os detalhes de uma possível revogação do Decreto pela Assembléia Legislativa através de um “Decreto Legislativo”. “Isso vai depender da correlação de forças, da movimentação política”, lembrou. Segundo ele, a mobilização popular é o melhor caminho para a revogação do Decreto:

“A força do povo pode resolver rapidamente essa questão. A mobilização das pessoas procurando os deputados, convencendo-os, persuadindo-os é fundamental. É preciso juntar as duas coisas – convencimento e pressão – para que haja mudança”, finalizou.

Deliberações

Ao final do encontro foram definidas as seguintes diretrizes de trabalhos da Frente:

1 - A Frente divulgou que será realizado um Ato no próximo dia 1º de setembro, às 19h, na Assembléia Legislativa de São Paulo, com o objetivo de sensibilizar os deputados estaduais da necessidade de se revogar o Decreto Estadual. Esse pedido de revogação será formalizado com o envio de um ofício assinado pela FRENCOOP Paulistana à Frente da Assembléia Legislativa, a FRENCOOP Paulista.

2 – A segunda deliberação do encontro foi proposta pelo Empreendedor do Cooperativismo, Antonio de Souza Oliveira. Ele expôs, por meio de Carta Ofício, que as Cooperativas de Trabalho necessitam de um tratamento adequado, além de precisarem de uma lei complementar que regulamente o conflito tributário.

3 – Foi proposto um Projeto de Lei que aborde a não incidência de ISS em contratos de Cooperativas.

4 – Resolver um problema existente dentro das cooperativas de créditos. Há um contrato do Banco do Brasil que passou a ser gestor das contas salários dos servidores públicos da cidade. Com isso, o servidor só pode fazer empréstimos consignados no Banco do Brasil e não mais nas cooperativas de crédito.

5 – Será enviado um ofício ao governador do Estado, Alberto Goldman, informando todo o trabalho que vem sendo feito pelas cooperativas paulistanas, além de propor a revogação do Decreto.

6 – Será convocada uma audiência com o Executivo municipal para tratar da matéria contida no Decreto Estadual com o objetivo de evitar que o texto seja aplicado na cidade de São Paulo.

Números

O sistema cooperativista na cidade de São Paulo está representado pelos seguintes ramos: sistema de serviço e trabalho, crédito, habitação, transporte, saúde, educação, entre outros.

O setor cooperativista nacional fechou o ano de 2008 com 7,6 mil cooperativas legalizadas, 7,8 milhões de cooperados e 254 mil empregados (colaboradores). O faturamento anual do sistema cooperativista brasileiro foi de R$ 84,9 bilhões, um aumento de 18% em relação ao faturamento de 2007, segundo a Organização das Cooperativas Brasileiras - OCB.

Participação

Participaram da atividade as seguintes autoridades e representantes: Marco Dipreto, assessor do vereador Adolfo Quintas (PSDB); Chico Canindé, presidente da Unimax; Armando Alves dos Santos, presidente da CONAM, ANACSP e SINTRAVA de São Paulo; Silvia Cibele, assessora do vereador Gilberto Natalini (PSDB); Julio Gushiken, gerente executivo de relações institucionais do sistema OCESP; João Luiz da Silva, da Logiscooper; Arnaldo Forner da Silva, representando a Ideal Cooperativa de Trabalho; Ronaldo Mossuly, representando a Cooperserv; Miraldo Góis da Silva, diretor da Cooperfrota; Dr. Osvaldo Tonani de Carvalho, representando a Credicitrus; José Rodolfo Serff, diretor de base do Sintracesp; Antonio Sergio Pisel, vice-diretor da Cooperpeople/Coopertranse; Magno de Andrade, representando a CooperQuality; José Rodrigues Silva, sócio da Cenacope; Francisco Claudio de Lima Filho, representando a Global Coop; Regiane Rodrigues Santos, diretora da Unicoope Administrativa; Elisete Maria de Souza, assessora da Cenasp; Antonio Carlos de Camargo, representando a Cooper Ativa; Janira Rangel Onório, representando a Central Sindical da Cenasp; Rodolfo Costa, representando a Cooperplus e a Audiservice; Sebastião Andrade Pereira, representando a Cooper Hotel; Leslie Adamo Lyra, representando o Deputado Federal Arnaldo Jardim (PPS); Mauricio Cordeiro Camicia, representando a Unicope; Fabio Michalan Giannini, representando a Coopercar; Renata Pedrazzoli Gallego, representando a Cenacope; Antonio Manoel Pedreira, representando o Sindicato Nacional das Micro Empresas; Leônidas Araujo Luz, representando o Fórum de Assistência Social e Dra. Cristina Müller, representando a Liderança do Partido Progressista (PP) na Câmara Municipal de São Paulo.

Vereadores que integram a Frente Parlamentar do Cooperativismo

Ricardo Teixeira (PSDB), José Ferreira Zelão (PT), Francisco Chagas (PT), Arselino Tatto (PT), Juscelino Gadelha (PSDB), Claudio Prado (PDT), Paulo Frange (PTB), José Police Neto (PSDB), Gilberto Natalini (PSDB), Dalton Silvano (PSDB), Aurélio Miguel (PR), Penna (PV), Antonio Carlos Rodrigues (PR), Alfredinho (PT), Toninho Paiva (PR), Chico Macena (PT), Gilson Barreto (PSDB), Jamil Murad (PCdoB), João Antonio (PT), Wadih Mutran (PP), Jooji Hato (PMDB), Senival Moura (PT), Milton Ferreira (PPS), Atilio Francisco (PRB) e Agnaldo Timóteo (PR).

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Câmara aprova doação de terreno ao GRAACC; vereadores do PPS aprovam projetos


Com votos da bancada do PPS, a Câmara Municipal aprovou nesta quarta-feira (25/8), em segunda votação, o PL 348/10, de autoria do Executivo, que doa um terreno público na Rua Borges Lagoa, na Vila Clementino (zona sul) ao Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer – GRAACC. Agora o Projeto vai a sanção do Prefeito.

“Uma bela iniciativa do prefeito Kassab em benefício das crianças vítimas pelo câncer eu são assistidas soberbamente pelos funcionários do Graacc”, analisa Claudio Fonseca, líder do PPS. O Dr. Milton Ferreira também reconhece a importância do gesto do Executivo: “O prefeito demonstra um gesto de grandeza, de solidariedade, ao repassar para essa importante organização um terreno que é do povo de São Paulo”.

Os vereadores também aprovaram, em primeira votação, o PL 232/09, de Claudio Fonseca, que inclui no calendário oficial de eventos da cidade o “Mês das Artes”. Também de autoria do líder do PPS, foi aprovado o PDL 47/10, que concede o título de cidadão paulistano ao senhor Valter Patriani.

Já a suplente Heida Li (PPS) também teve o seu PDL 1/10 aprovado. Ele concede o título de Cidadão Paulistano ao senhor Zhang Wei.

Zoonoses

Ficou pendente de votação o substitutivo ao PL 268/10, de autoria da Comissão de Saúde, Promoção Social, Trabalho e Mulher, que autoriza a manutenção dos Agentes de Apoio Segmento - Zoonoses, contratados em caráter emergencial pela Secretaria de Saúde, “até que se atinja a meta de estruturação do controle vetorial recomendada pela Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde”.

O Projeto, que já havia sido votado em primeira discussão, foi a votação nominal. Somente 19 vereadores votaram favoravelmente diante de dois votos contrários. Não houve abstenções. Por não atingir o número necessário (27 votos favoráveis), o projeto ficou pendente de votação, ou seja, volta para ser votado numa próxima oportunidade.

Outros Projetos aprovados

PDL 36 /2010, do Vereador DONATO (PT)
Dispõe sobre a concessão do Título de Cidadã Paulistana a Senhora Dilma Vana Rousseff.

PDL 14 /2009, do Vereador ALFREDO CAVALCANTE (PT)
Concede Título de Cidadão Paulistano ao Artista Francisco de Assis de Souza Lopes - Francis Lopes.

PDL 100 /2009, do Vereador AURÉLIO MIGUEL (PR)
Dispõe sobre a outorga de Título de Cidadão Paulistano ao Sr. José Roberto Lages Guimarães, e dá outras providências

PDL 17 /2010, do Vereador ÍTALO CARDOSO (PT)
Dispõe sobre a concessão de Título de Cidadã Paulistana à Jornalista Rose Nogueira.

PDL 39 /2010, do Vereador JAMIL MURAD (PC DO B)
Dispõe sobre a outorga do Título de Salva de Prata em homenagem aos 80 anos do Grêmio Recreativo Cultural e Social Escola de Samba Vai-Vai.
DISCUSSÃO E VOTAÇÃO ÚNICAS
APROVAÇÃO MEDIANTE VOTO FAVORÁVEL DE 2/3 DOS MEMBROS DA CÂMARA.

PDL 13 /2010, do Vereador JOÃO ANTÔNIO (PT)
Dispõe sobre a outorga do Título de Cidadão Paulistano ao Senhor Manoel Silva de Carvalho.

PDL 4 /2010, do Vereador JOOJI HATO (PMDB)
Dispõe sobre outorga de Salva de Prata ao Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo - Sinduscon-SP

PDL 95 /2009, do Vereador JOSÉ OLÍMPIO (PP)
Dispõe sobre a concessão de "Medalha Anchieta" e o Diploma de Gratidão da Cidade de São Paulo ao Sr. Jean Mardam.

PDL 25 /2009, do Vereador MILTON LEITE (DEMOCRATAS)
Concede o Título de Cidadão Paulistano ao Prof. Dr. Nehemias Domingos de Melo.

PDL 18 /2009, do Vereador NATALINI (PSDB)
Concede Título de Cidadão Paulistano ao Médico Endocrinologista Dr. Fadlo Fraige Filho.

PDL 3 /2010, do Vereador PAULO FRANGE (PTB)
Dispõe sobre a outorga da Medalha Anchieta e Diploma de Gratidão da Cidade de São Paulo ao Juiz Federal Excelentíssimo Doutor Fausto Martin De Sanctis, e dá outras providências.

PDL 40 /2010, do Vereador RUSSOMANNO (PP)
Dispõe sobre a outorga da Salva de Prata ao Senhor Eder Jofre, em homenagem ao cinquentenário do 1º Título Mundial de Boxe conquistado por um brasileiro, e dá outras providências.

PDL 29 /2010, do Vereador USHITARO KAMIA (DEM)
Dispõe sobre a concessão de Medalha Anchieta e Diploma de Gratidão da Cidade de São Paulo ao Professor Akio Ogawa e dá outras providências.

PDL 33 /2005, DA COMISSÃO DE EDUCAÇÃO CULTURA E ESPORTES
Dispõe sobre a concessão do Prêmio Escotista Mário Covas Júnior de Ação Voluntária do ano de 2005, nos termos da Resolução nº 02/2003.

PDL 25 /2010, do Vereador ANTÔNIO CARLOS RODRIGUES (PR)
Concede o Título de Cidadão Paulistano ao Sr. Marcos Proença.

PDL 85 /2009, do Vereador ANTONIO CARLOS RODRIGUES (PR)
Concede o Título de Cidadão Paulistano ao "Professor Doutor Eurípedes Sales".

PL 56 /2008, do Vereador ADILSON AMADEU (PTB)
Altera a Lei nº 14.485, de 19 de julho de 2007, para incluir o Dia do Profissional de Dança e a Semana Municipal de Dança a serem realizados anualmente no dia 29 de abril e na semana do dia 29 de abril, respectivamente, e dá outras providências.
FASE DA DISCUSSÃO: 1ª

PL 164 /2008, do Vereador AGNALDO TIMÓTEO (PR)
Altera a Lei nº 14.485, de 19 de julho de 2007, para nela incluir o Dia Municipal do Exame de Próstata, a ser realizado anualmente, no segundo sábado do mês de agosto, e dá outras providências. (Consolida a legislação municipal referente a datas comemorativas, eventos e feriados do Município de São Paulo.)
FASE DA DISCUSSÃO: 1ª

PL 528 /2002, do Vereador ARSELINO TATTO (PT)
Institui o "Dia da Revolução Francesa", no âmbito do Município de São Paulo.
FASE DA DISCUSSÃO: 1ª do substitutivo da CCJ.

PL 640 /2006, do Vereador AURÉLIO MIGUEL (PR)
Dispõe sobre a inclusão do Encontro dos Jipeiros no Calendário Oficial de Eventos do Município de São Paulo, e dá outras providências.
FASE DA DISCUSSÃO: 1ª do substitutivo da CCJ

PL 567 /2009, do Vereador FLORIANO PESARO (PSDB)
Inclui no Calendário Oficial do Município de São Paulo o Mês em Comemoração a festa das Luzes - Chanuká.
FASE DA DISCUSSÃO: 1ª

PL 71 /2010, do Vereador FLORIANO PESARO (PSDB)
Institui o Dia do Ensino e Participação Coletiva inspirados na obra do Rebe de Lubavich - Movimento Chabad e inclui no Calendário Oficial de Datas e Eventos do Município de São Paulo.
FASE DA DISCUSSÃO: 1ª do substitutivo da CCJ

PL 806 /2005, do Vereador GOULART (PMDB)
Inclui no Calendário Oficial do Município de São Paulo o evento "Interlagosfest".
FASE DA DISCUSSÃO: 1ª

PL 93 /2006, do Vereador GOULART (PMDB)
Inclui no Calendário Oficial do Município de São Paulo, o Desfile da Banda do Barril.
FASE DA DISCUSSÃO: 1ª

PL 214 /2004, do Vereador JOSÉ FERREIRA (ZELÃO) (PT)
Institui o "Dia do Samba Paulistano", a ser comemorado anualmente no dia 6 de julho.
FASE DA DISCUSSÃO: 1ª

PL 635 /2006, dos Vereadores MYRYAM ATHIE (PDT), GOULART (PMDB), WILLIAM WOO (PSDB), JUSCELINO GADELHA (PSDB), CHICO MACENA (PT), PAULO FRANGE (PTB) E USHITARO KAMIA (DEMOCRATAS)
Institui A Feira Internacional do Serviço de Turismo - FISTUR e o Congresso Internacional de Gastronomia, Hospitalidade e Turismo a serem realizados anualmente no mês de março, e dá outras providências.
FASE DA DISCUSSÃO: 1ª DO SUBSTITUTIVO DOS AUTORES

PL 326 /2008, do Vereador NATALINI (PSDB)
Altera a Lei nº 14.485, de 19 de julho de 2007, para nela incluir o Dia do Anatomista, a ser realizado, anualmente, em 21 de de maio, e dá outras providências.
FASE DA DISCUSSÃO: 1ª DO SUBSTITUTIVO DO AUTOR

PL 327 /2008, do Vereador NATALINI (PSDB)
Altera a Lei nº 14.485, de 19 de julho de 2007, para incluir o evento VINDIMA/SP, a ser realizado, anualmete, no mês de fevereiro, e dá outras providências.
FASE DA DISCUSSÃO: 1ª

PL 126 /2009, do Vereador NATALINI (PSDB)
Altera a Lei nº 14.485, de 19 de julho de 2008, para nela incluir o evento Olimpíada das Comunidades Estrangeiras (OCRE), a ser realizado, anualmente, no mês de fevereiro, e dá outras providências.
FASE DA DISCUSSÃO: 1ª

PL 596 /2009, do Vereador NETINHO DE PAULA (PC DO B)
Altera a Lei 14.485, de 19 de julho de 2007, para incluir a Festa de São Benedito, a ser realizada anualmente no terceiro domingo do mês de abril, e a festa da Mãe Negra, a ser realizada anualmente no mês de maio, e dá outras providências.
FASE DA DISCUSSÃO: 1ª

PL 392 /2009, da Vereadora NOEMI NONATO (PSB)
Altera a Lei nº 14.485, de 19 de julho de 2007, para nela incluir a Semana do Teste de Avaliação Ortopédica da Coluna-Teste do Minuto-, a ser realizada, anualmente, na primeira semana do ano letivo, e dá outras providências.
FASE DA DISCUSSÃO: 1ª

PL 782 /2007, do Vereador TONINHO PAIVA (PR)
Inclui no artigo 7º da Lei nº 14.485/2007, a Semana da Arte e Cultura Portuguesa.
FASE DA DISCUSSÃO: 1ª

PL 113 /2010, do Vereador TONINHO PAIVA (PR)
Altera a Lei nº 14.485, de 19 de julho de 2007, para nela incluir a Corrida e Caminhada "Droga Mata e Esporte Salva", a ser realizada, anualmente, no mês de setembro, e dá outras providências.
FASE DA DISCUSSÃO: 1ª

38 - PL 61 /1999, do Vereador WADIH MUTRAN (PP)
Dispõe sobre a criação da "Semana do Remédio Não Vencido"
FASE DA DISCUSSÃO: 1ª

PL 51 /1995, DO EXECUTIVO
Aprova plano de melhoramentos no Distrito de Jaguara, revoga a Lei 8874/79. (Revogação integral da Lei 8874/79, trecho compreendido entre as ruas Joaquim de O. Freitas, Rua Inácio Luis da Costa e Rua Elísio Cordeiro de Siqueira, desde a Rua Francisco Coelho até a faixa de domínio da Via Anhanguera.)
FASE DA DISCUSSÃO: 2ª

PL 69 /1995, DO EXECUTIVO
Altera parcialmente o alinhamento aprovado pela Lei 4.961/56. (Modificação parcial do alinhamento no trecho situado na esquina da Rua Dr. Fláquer com a Rua Afonso de Freitas)
FASE DA DISCUSSÃO: 2ª

49 - PL 921 /1995, DO EXECUTIVO
Renova a Lei 6.846/96, restabelece os alinhamentos anteriores. (Via expressa de ligação Leste -Oeste)
FASE DA DISCUSSÃO: 2ª

Metrô da Vila Prudente e progressão continuada pautam discurso do líder do PPS

Usando a tribuna da Câmara Municipal nesta quarta-feira (25/8), o líder do PPS, Professor Claudio Fonseca, ressaltou a importância da construção da estação Vila Prudente do metrô para a região. Para ele, a obra “mexerá com a dinâmica do bairro". “Para ali vão se deslocar comércio, novas moradias, novos empreendimentos com a construção de torres de escritórios e apartamentos”.

Em seguida, o parlamentar comentou a utilziação eleitoral da da organização do ensino em ciclos e da progressão continuada. Leia a íntegra do discurso:

“Sr. Presidente, nobres Srs. Vereadores e Sras. Vereadoras, telespectadores da TV Câmara São Paulo, servidores da Zoonose que aqui estão lutando pela aprovação do projeto que lhes diz respeito, no sábado passado foi inaugurada a estação de metrô da Vila Prudente, que traz para aquela região próxima da Mooca um indutor de desenvolvimento.

Nós sabemos que onde temos estação de metrô, um módulo de transporte mais rápido, há geração de desenvolvimento. Aquela é considera uma estação bastante moderna, a com maior tecnologia entre todas aquelas que nós já temos construídas, comparando também com estações de metrô de outros estados e mesmo de outros países, por isso, sem dúvida alguma, é um grande indutor de desenvolvimento, que acaba provocando alterações urbanas nas suas proximidades e em todo o bairro.

Para ali vão se deslocar comércio, novas moradias, novos empreendimentos com a construção de torres de escritórios e apartamentos e, obviamente, mexerá bastante com a dinâmica do bairro. Mas não dá para desconsiderar que é uma grande conquista da população da Vila Prudente e dos bairros próximos, como Parque São Lucas, São Mateus, Vila Alpina, Vila Zelina e mesmo a Mooca.

Com certeza é uma estação que mexe com toda a região e é um melhoramento para toda população local, assim como para aqueles que moram um pouco mais distantes, como no Bairro do Sapopemba e São Mateus, que poderão ter um encurtamento da distância através desse modal de transporte. As pessoas vão se deslocar dos bairros citados até a Vila Prudente e tomar o metrô e chegarão mais rapidamente à região central de São Paulo, à região da Paulista ou Pinheiros, o que é muito importante para os trabalhadores.

Essa estação também é o resultado da luta dos moradores daquela localidade, através de suas organizações, uma delas o Círculo de Trabalhadores Cristãos, através do seu diretor executivo, da Folha da Vila Prudente, que batalharam por muitos anos, pois praticamente desde 1985 que eles têm defendido a construção da estação do metrô na Vila Prudente.

Também devemos dizer que da estação metrô da Vila Prudente até Cidade Tiradentes teremos um novo modal de transporte. Discute-se se será o monotrilho, como está no projeto, ou outra forma. Sabemos que a construção do metrô é bastante cara e São Paulo tem pressa, por isso precisamos buscar algumas alternativas em relação a esse transporte para que possamos assegurar à população maior mobilidade.

Quero cumprimentar o Governo do Estado de São Paulo, os trabalhadores do Metrô, os construtores, aqueles que trabalharam no dia a dia para construir aquela estação, os moradores da região da Vila Prudente que ganham aquele grande investimento público, que é a estação do metrô, e a cidade de São Paulo, obviamente, porque defendemos a expansão da malha metroviária e as suas alternativas, porque sabemos que São Paulo é hoje é uma cidade estrangulada , com dificuldade de mobilidade para os automóveis.

Para finalizar, quero falar um pouco sobre o processo eleitoral. Como há vários candidatos, é comum, corriqueiro, debater-se a questão da organização do ensino em ciclos e da progressão continuada, duas propostas que sempre foram dos chamados setores progressistas de esquerda da sociedade. No debate eleitoral, essas propostas estão sendo contestadas por um dos candidados, que diz que vai extinguir a progressão continuada.

A proposta de progressão continuada, nobre Vereador Natalini, foi instituída em 1992, à época da Prefeita Luisa Erundina, e do educador Paulo Freire no comando da Secrtaria Municipal de Educação. Instituíram não só a progressão continuada, mas a não reprovação entre a 1ª e a 3ª série, que era o primeiro ciclo; a 3ª e a 6ª série, segundo ciclo e 7ª e 8ª série.

O que precisamos discutir são as condições que as escolas possuem para assegurar aos alunos a aprendizagem com qualidade. Entretanto, qualquer um que diz que vai acabar com a progressão continuada não está ciente de que essa forma de organização de ensino está amparada na Constituição Federal, na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional e em resoluções do Ministério da Educação e Cultura. Então, é importante que se coloque o debate no devido lugar. Muito obrigado".

Participe da 1ª Reunião da FRENCOOP Paulistana

O vereador Claudio Fonseca (PPS) convida a população a participar da 1ª reunião ordinária da Frente Parlamentar de Apoio ao Cooperativismo Paulistano (FRENCOOP Paulistana).

O encontro, que será promovido pelo parlamentar – autor da proposta de criação da Frente – terá a participação de vereadores e representantes de cooperativas da capital paulista. A reunião será realizada no Auditório Prestes Maia da Câmara Municipal de São Paulo (Viaduto Jacareí, 100 – 1º andar), das 9h00 às 12h00.

“A FRENCOOP tem o objetivo de incentivar o cooperativismo no município, resgatando os valores da solidariedade, confiança e ajuda mútua, promovendo ainda o desenvolvimento sustentável pela cooperação e seguindo os princípios gerais do cooperativismo internacional”, explica Claudio Fonseca.

Metas

Nesse primeiro encontro serão definidas as primeiras diretrizes de trabalho do grupo e escolhidos o presidente e o secretário-geral da Frente - mandato anual. Além da definição do corpo administrativo, será definida também uma pauta com temas para as próximas reuniões e regras de condução dos trabalhos.

Entre os itens que poderão estar na pauta está a discussão do Decreto Estadual 55.938, (de 21 de junho de 2010), que proíbe a participação de cooperativas em licitações promovidas pela administração direta e indireta do Estado de São Paulo. Outros temas também serão sugeridos, como a questão da alíquota de ISS (Imposto Sobre Serviço), qual a melhor forma de se tratar o assunto, se aprofundar no tema do código de atividade do cooperado e a definição da política de apoio e incentivo ao cooperativismo.

Números

O sistema cooperativista na cidade de São Paulo está representado pelos seguintes ramos: sistema de serviço e trabalho, crédito, habitação, transporte, saúde, educação, entre outros.

O setor cooperativista nacional fechou o ano de 2008 com 7,6 mil cooperativas legalizadas, 7,8 milhões de cooperados e 254 mil empregados (colaboradores). O faturamento anual do sistema cooperativista brasileiro foi de R$ 84,9 bilhões, um aumento de 18% em relação ao faturamento de 2007, segundo a Organização das Cooperativas Brasileiras - OCB.

Vereadores que integram a Frente Parlamentar do Cooperativismo

Ricardo Teixeira (PSDB), José Ferreira Zelão (PT), Francisco Chagas (PT), Arselino Tatto (PT), Juscelino Gadelha (PSDB), Claudio Prado (PDT), Paulo Frange (PTB), José Police Neto (PSDB), Gilberto Natalini (PSDB), Dalton Silvano (PSDB), Aurélio Miguel (PR), Penna (PV), Antonio Carlos Rodrigues (PR), Alfredinho (PT), Toninho Paiva (PR), Chico Macena (PT), Gilson Barreto (PSDB), Jamil Murad (PCdoB), João Antonio (PT), Wadih Mutran (PP), Jooji Hato (PMDB), Senival Moura (PT), Milton Ferreira (PPS), Atilio Francisco (PRB) e Agnaldo Timóteo (PR).

Claudio Fonseca apresenta requerimento à Comissão de Educação

Renan Geishofer – Liderança do PPS

Durante a reunião da Comissão Permanente de Educação, Cultura e Esportes, da Câmara Municipal de São Paulo, realizada na tarde desta quarta-feira (26/8) foi apresentado requerimento do vereador Claudio Fonseca (PPS) propondo o envio de cópia do Projeto de Lei 261/09, de autoria do vereador Donato (PT), para análise da Prefeitura.

O Projeto do petista prevê a implantação do “Programa Pró-Criança” na capital. O objetivo, segundo o autor, é fazer com que o Executivo matricule alunos carentes nas creches de ensino privado com o registro dos alunos na Coordenadoria de Educação. As inscrições desses alunos carentes que não têm vagas nas escolas municipais serão temporárias, sendo feitas enquanto não houver vagas nos CEIs.

Claudio Fonseca deseja que o Executivo se manifeste sobre a viabilidade de execução do PL. Caberá à Secretaria Municipal de Educação abrir um processo para cadastramento das creches particulares que se interessarem em participar do Programa. Será estabelecido um valor máximo das mensalidades que serão pagas pela creche. Sendo assim, o impacto que o PL trará aos cofres municipais também deverá ser analisado pelo Executivo, como propõe o líder da bancada do PPS.

O requerimento será votado na próxima reunião da Comissão.

Na pauta

Durante a reunião também foram analisados quatro Projetos de Lei . Três foram aprovados e um vistado, o PL 561/09, de autoria do vereador Antonio Carlos Rodrigues (PR). Abaixo a relação de PLs aprovados:

PL 117/10, de autoria do vereador Paulo Frange (PTB);

PL 212/10, de autoria do vereador Quito Formiga (PR);

PL 236/10 , de autoria do vereador Aurélio Miguel (PR).

Participaram do encontro os vereadores: Professor Claudio Fonseca, líder do PPS; Claudinho de Souza (PSDB), presidente da Comissão; Marco Aurélio Cunha (DEM), vice-presidente da Comissão; Alfredinho Cavalcante (PT), Celso Jatene (PTB) e Jooji Hato (PMDB).

Outras Comissões

Comissão de Administração Pública

Comissão de Política Urbana


Comissão de Constituição e Justiça

Comissão de Saúde

Comissão de Finanças e Orçamento

Trabalhadores de telemarketing denunciam Covisa


Sítio da Câmara Municipal

Técnicos da Vigilância em Saúde do Trabalhador, uma das gerências da Coordenação de Vigilância em Saúde (Covisa), não fiscalizam as empresas de telemarketing para verificar as condições do ambiente e de trabalho dos funcionários. A queixa foi feita nesta terça-feira (24/8) pelo diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Telemarketing (Sintratel), Alberto Rodrigo de Paiva, aos integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para averiguar e apurar eventual deficiência no desempenho das competências outorgadas à Covisa.

“A Covisa ainda deixa muito a desejar, apesar de um quadro de técnicos extremamente competentes, mas que é ainda muito pequeno perto das necessidades da cidade de São Paulo. E é pouco instrumentalizada”, criticou o vereador Paulo Frange (PTB), vice-presidente da CPI. “Ontem, recebemos a denúncia de que não havia veículos para transportar os funcionários da fiscalização”.

O parlamentar destacou que na cidade de São Paulo existem 100 mil trabalhadores na área de telemarketing. “Um trabalho com jornada de seis horas e 20 minutos de almoço, que beira muito a escravidão devido à falta de condições mínimas de trabalho”.

Bolachas e doces no almoço

Paulo Frange revelou que existem estudos apontando que 70% dos trabalhadores em telemarketing sofrem de dores lombares. “O nível de ansiedade é muito acima da média, pois as condições precárias de trabalho levam ao aumento de peso, já que existe pouco tempo para almoçar. Os trabalhadores se alimentam com bolachas, doces, salgadinhos e biscoitos, apresentando hipertensão arterial, insônia e nível de irritabilidade muito grande”, disse o parlamentar, que completou:

“Nos locais de trabalho falta banheiro, falta espaço para se alimentar. Os trabalhadores não andam durante o período e, portanto, acumulam liquido nas pernas. Se forem mais velhos há o risco de terem uma trombose e, nos jovens, há o risco de edemas. As funcionárias atendem a cada 30 segundos um telefonema, o que provoca uma intermitência de ruídos. O nível de estresse é muito alto.”

TAC

Com o objetivo de reduzir os problemas enfrentados pelos trabalhadores, Paulo Frange sugeriu que a CPI faça uma sessão única, com a participação de representantes do Ministério Público, da Delegacia Regional do Trabalho, da Fundacentro, da Covisa, do sindicato patronal e do sindicato dos funcionários. “Vamos ouvir todos e, depois, propor ao Ministério Público a assinatura de um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta), com prazo determinado, de melhoria das condições de trabalho”.

Verba congelada

Na opinião do vereador Jamil Murad (PCdoB), o mais grave é que existem recursos, mas o governo municipal os congela, não os utilizando. “A verba é congelada por orientação do governo municipal e o secretário de Saúde concorda”, disse.

O vereador lembrou que, no início da CPI, a responsável de Finanças da Covisa informou que havia congelamento das verbas, mas que os recursos seriam liberados no decorrer das necessidades.

Murad explicou que a Covisa recebe recursos do governo federal por meio do Ministério da Saúde, do governo municipal e do estadual. “A verba destinada pelo governo estadual, nos últimos três anos, foi de R$ 550 mil, o que dá R$ 185 mil por ano. Poderia ser maior, mas ficou congelada durante esse período. Como os recursos não foram utilizados acabaram sendo cancelados. Acho uma irresponsabilidade.”

Participaram da reunião os seguintes vereadores Paulo Frange (PTB), Sandra Tadeu (DEM), Milton Ferreira (PPS), José Ferreira Zelão (PT), Natalini (PSDB), Noemi Nonato (PSB) e Jamil Murad (PCdoB).

Claudio Fonseca recomenda: Museu Lasar Segall


O Professor Claudio Fonseca, vereador líder da bancada do PPS na Câmara Municipal de São Paulo, convida a população a conhecer o Museu Lasar Segall, espaço criado em 1967 para reunir as obras do grande artista Lasar Segall. O acervo é composto por pinturas, gravuras, desenhos e esculturas.

Idealizado por Jenny Klabin Segall, viúva do artista, o Museu foi criado como associação civil filantrópica por seus filhos, Mauricio Segall e Oscar Klabin Segall e, em 1985, o Museu foi incorporado à extinta Fundação Nacional Pró-Memória, integrando hoje o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) do Ministério da Cultura.

Além de promover exposições, são oferecidos, também, cursos e oficinas voltados à disseminação da arte e cultura; o Cine Segall; a Biblioteca Jenny Klabin Segall, especializada em Artes do Espetáculo (Cinema – Teatro – Dança – Ópera – Circo – Rádio – Televisão) e Fotografia; o Café Segall, no jardim de entrada do museu, atende como espaço de convivência para o público freqüentador.

O museu atua como casa de cultura, além do acervo e das salas de exposição de longa-duração, com algumas das principais obras do artista. A instituição oferece uma sala para exposições temporárias para a apresentação de trabalhos de artistas contemporâneos, ou que estabeleçam um diálogo com a linguagem utilizada pelo artista-anfitrião.

No setor de Áreas Criativas, os visitantes poderão participar do trabalho oferecido pelas Oficinas de Gravura, com cursos de xilogravura, gravura em metal e litografia, todos realizados no ateliê utilizado por Segall para a criação de suas obras. Já a oficina de Criação Literária proporciona cursos de iniciação ao texto literário e laboratórios de redação. No Laboratório de Fotografia ocorrem cursos básicos, oficinas temáticas e a utilização de laboratório para processos de revelação e ampliação em P&B. O Conversas Fotográficas consiste em uma série de encontros com fotógrafos, curadores, críticos e especialistas para compartilhar suas idéias e inquietações com o púbico.

Informações

Museu Lasar Segall
Rua Berta, 111 (Vila Mariana)
Telefone: 5574-7322
Aberto de terça a sábado e feriados das 14h às 19h. Aos domingos das 14h às 18h

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Artigo: 'Vila Prudente, da carroça aos trilhos do metrô'


"Início dos anos 40 do século passado. A Vila Prudente conservava ainda características de área rural. A Rua Capitão Pacheco e Chaves ainda era apenas uma estrada sem asfalto, por onde passavam carroças que percorriam caminhos com destino ao bairro da Mooca.

Ao seu redor surgiam novos loteamentos que configuravam novos núcleos urbanos, originando o surgimento da Vila Alpina, Vila Ema, Parque São Lucas e Vila Industrial.

Passaram-se 70 anos para que a Vila Prudente pudesse receber os benefícios da malha metroviária representada pela inauguração da Estação do Metrô de Vila Prudente.

Esse importante benefício urbano não chegou por acaso, é fruto da luta do movimento popular organizado representado pelas entidades e movimentos sociais com forte atuação na região.

Cabe destacar a perseverança e determinação do Círculo dos Trabalhadores Cristãos de Vila Prudente, que fez da luta pela implantação do metrô na região a sua bandeira maior. Já o valoroso Jornal da Vila Prudente fez ecoar da sua tribuna esse justo clamor pelos quatro cantos da cidade.

Agora, ao se aproximar o aniversário de 120 anos de Vila Prudente - a ser comemorado no próximo dia 4 de outubro - quero cumprimentar sua laboriosa população e suas organizações sociais reafirmando o meu compromisso, de no exercício da atividade parlamentar, continuar contribuindo com a apresentação de proposituras que de alguma forma possam ajudar o seu desenvolvimento e a melhoria da qualidade de vida dos seus moradores".

Claudio Fonseca, vereador líder da bancada do PPS na Câmara Municipal

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Noite de gala comemora os 454 anos da Mooca

O líder do PPS na Câmara Municipal de São Paulo, Professor Claudio Fonseca, promoveu na noite desta terça-feira (18/8), em parceria com os vereadores Adilson Amadeu (PTB) e Ricardo Teixeira (PSDB), sessão solene da Câmara Municipal que comemorou os 454 anos do tradicional bairro da Mooca.

O evento, que contou com a presença de mais de 250 pessoas, foi realizado no teatro Artur Azevedo, também localizado no tradicional bairro operário.

Diversas figuras de destaque do bairro e da região receberam o “diploma de gratidão dos 454 anos da Mooca” concedido pela Câmara Municipal de São Paulo e pela Associação dos Moradores e Amigos da Mooca (Amoamooca).


Acolhedora

“A marca de São Paulo é o acolhimento. Nessa cidade, temos alguns bairros que são mais acolhedores ainda: é o caso da Mooca”, disse Claudio Fonseca em seu discurso. Segundo ele, “a Mooca é uma grife” conhecida em todos os cantos do país e em diversos lugares do mundo.

O vereador enalteceu o papel cultural do bairro, que serviu de cenário para diversos filmes, além de ter sido palco de manifestações culturais de diversas nacionalidades. “Temos um dos mais tradicionais teatros da cidade e um time, o Juventus, que é o segundo no coração de todos os paulistanos”, relembrou.


Sindicalista e defensor dos direitos dos trabalhadores, Claudio Fonseca recordou do papel de vabguarda do bairro, palco das primeiras greves no Brasil: “Aqui se travou as principais batalhas para que se firmassem os direitos sociais dos assalariados, dos trabalhadores”.

Ao final, lembrou que a Mooca é hoje um centro de investimentos, de diversidade gastronômica, e que futuramente duas operações-urbanas vão lajudar a revigorar o bairro: Lapa/Brás e Mooca/Vila Carioca. “São operações que trarão investimentos para a Mooca respeitando a sua tradição e cultura”.

Amo A Mooca

A abnegada presidente da Associação dos Moradores e Amigos da Mooca (Amoamooca), Crescenza Giannocaro, a popular “Dona Zina”, enalteceu a história do bairro, da luta e do trabalho árduo de valorosos imigrantes, das primeiras greves operárias, da pujança econômica, da cultura e de sua famosa gastronomia.

Participaram do evento o vereador Adilson Amadeu (PTB), parceiro na festividade; a Coronel Suely Teixeira, representando o subprefeito da Mooca, Coronel Rubens Casado; Walter Augusto Marques, presidente do Conseg Alto da Mooca; Inspetor Pádua, chefe da inspetoria regional da Mooca da Guarda Civil Metropolitana; Fernando Edson Mendes, comandante da 3.ª Companhia de Policiamento do 21.º Batalhão Policial Militar Metropolitano, entre outras personalidades.


O charmoso evento foi abrilhantado pelo Coral Rafaelis, muito conhecido na Mooca. Inicialmente formado mães de alunos do Externato São Rafael que cantavam música italiana, adota hoje um repertório eclético, que inclui MPB e clássicos da música paulistana. O coral desenvolve um trabalho beneficente, apresentando-se em asilos, hospitais e outras instituições.

O renomado pianista Reginaldo Mordenti brindou a sessão em grande estilo ao executar o repertório composto por partituras de Peter Tchaikovski, Albinonoi e Gaieg.

Em seguida, fechando a noite, a Banda "SUN 7", criada no final dos anos 60 no antigo morro da capucheta na Mooca - uma das homenageadas da noite - brindou o público com o seu alegre e dençante repertório. Os músicos foram acompanhados de um dos maiores intérpretes da música italiana e brasileira, representante do bairro, Ari Sanches, um dos ícones da Jovem Guarda.

Homenageados

Instituicional

AACD, 21º Batalhão PM, 3º Grupamento de Incêndio, Banda os Pholhas, Banda Sun 7, Buffet Riviera, Buffet Tulipas, Cartório de Registrio Civil da Mooca, Círculo dos Trabalhadores Cristãos de Vila Prudente, Clube Atlético Juventus, Clube Atlético Parque da Mooca, Doceira Di Cunto, Drogaria Sinete, Elídio Bar, Giba' Bar, Hospital Cema, Hospital e Maternidade São Cristovão, Hospital Ignácio Proença de Gouveia , Hospital Oswaldo Cruz , Jornal da Zona Leste, Metalurgica Jangada, Metalurgica Ventisilva, Moinho Eventos, Padaria Monte Líbano, Padaria Nova Veredas, Paróquia de São Rafael Arcanjo, Pizzaria São Pedro, Restaurante Don Carlini, RVS - Bicicletas, Subprefeitura da Mooca e Upsai Sistemas de Energia.

Personalidades

Abílio Diniz, Antonio Santoro Júnior, Armando Raucci, Ary Sanches, Aureo Marcellini, Daniela Garcia Silvestrin, Daniela Maria Morenghi, Élcio de Sousa, Ernesto Paulella, Euclydes Barbulho, Fernando Crespi, Guido Carlos Piva, Jéssica Elena Silveira Nascimento, Jéssica Mazzi Gutierrez, Lauro Ribeiro Escobar, Luzinete Santos de Oliveira Melo, Maria Dolores Martins Martinez, Meire Rose Stankevicius Bassi, Nicola Egidio Filie, Nielson Brites D`Amaral, Olga Filomena Martinez, Paulo Walter Spartani, Reginaldo José Stávale, Reginaldo Mordenti, Renato Fregnani, Rosana Mordenti e Vitor dos Santos Souza.

O Bairro


A Mooca completou 454 anos no dia 17 de agosto. O bairro foi fundado em 1556 e hoje possui brasão, bandeira e hino próprios, uma população de aproximadamente 65 mil pessoas, 231 vias públicas e cerca de 7,7 km².

A Mooca tornou-se ao longo do tempo uma referência do reduto de imigrantes em São Paulo, se caracterizando desde então, em um bairro de origens italianas.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

CCJ aprova PL que favorece o agente escolar


A Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa da Câmara Municipal aprovou nesta quarta-feira (18/8) o Projeto de Lei 208/10, de autoria do vereador Claudio Fonseca (PPS), que altera a denominação dos atuais ocupantes de cargos de Agente Escolar em Auxiliar Técnico de Educação I e de Agente de Apoio em exercício nas unidades da SME em Agente Escolar.

Agora, o Projeto deverá ser analisado pela Comissão de Educação para, em seguida, ir a votação no plenário da Casa. Conheça aqui a íntegra do Projeto.

Claudio Fonseca defende construção de escola infantil na região da Rua Augusta


Durante a sessão ordinária desta quarta-feira (18/8), o líder do PPS, Professor Claudio Fonseca (PPS), mostrou surpresa com a polêmica criada por moradores da região da Rua Augusta, centro, que são contra a construção de uma escola de educação infantil por entenderem “que não existe demanda de educação infantil na região central e, por essa razão, o Poder Público não deveria construir mais uma escola”.

“Há demanda, na pior das hipóteses, para atender aos filhos de empregadas domésticas, daquelas pessoas que, muitas vezes, rejeitam qualquer tipo de intervenção por acreditarem que isso poderá criar desconforto na região”, disse. Acompanhe abaixo a íntegra:

"Sr. Presidente, nobre Vereador Roberto Tripoli, Sras. e Srs. Vereadores, é importante que tenhamos, hoje, o acompanhamento do pessoal que trabalha no combate às zoonoses. Há um projeto de lei a ser aprovado em segunda votação e sei que esse projeto tem urgência. No entanto, não temos tido sessões em que o projeto esteja sendo debatido em plenário. É importante que seja feito porque tem urgência.

O nobre Vereador Alfredinho falou dos projetos relacionados à Guarda Civil Metropolitana. São quatro projetos de lei dispondo sobre gratificações, fixação de política salarial para o pessoal da Guarda bem como para o quadro de pessoal de nível médio e de nível básico da Prefeitura; alguns dispondo sobre gratificação por atividade, outros tratando de função gratificada. De qualquer forma acho que são importantes.

Tendo sido aprovados pela Comissão de Constituição e Justiça, prosseguirão pelas demais Comissões, como é praxe na Casa. Se houver interesse da maioria dos Srs. Vereadores poderá ser realizado um Congresso de Comissões para dar celeridade à votação dos projetos, visto que os servidores públicos de fato estão em situação bastante difícil, em particular os de nível médio, os de nível básico e os da Guarda Civil Metropolitana, que estão há muito tempo tendo reajustes salariais que não passam de 0,01%, aplicados na data base, que é em maio.

Achamos importante porque esses servidores que operam nas praças de atendimento da Prefeitura precisam de incentivo para realizar o trabalho que realizam, que é imprescindível para a Cidade, é de importância estratégica para que São Paulo devolva em serviços de qualidade aquilo que se contribui na forma de impostos, de taxas e assim por diante.

Outro assunto que gostaria de tratar diz respeito à educação infantil. Ontem houve uma polêmica aqui sobre a construção de uma Escola de Educação Infantil num terreno na esquina da Rua Augusta com a Rua Caio Prado, onde há um parque - é uma das poucas áreas verdes de São Paulo. E me surpreendeu o argumento de parte dos moradores daquela localidade de que não existe demanda de educação infantil na região Central e, por essa razão, o Poder Público não deveria construir mais uma escola.

Pode até se discutir se aquela localidade, no início da rua Augusta e próximo ao Mackenzie, onde há uma das poucas áreas verdes da região Central, é a adequada para se construir uma escola de educação infantil, que abrigará crianças de outra escola a ser transferida. Mas alegar a falta de necessidade não é correto, até porque a região Central tem programas específicos como a operação urbana Nova Luz, por exemplo. Existe perspectiva e necessidade de aproveitar prédios ou construir novos edifícios para destinar à habitação de interesse social.

De nada adiantará projetos voltados à habitação de interesse social se não houver equipamentos de educação infantil. São necessárias escolas, postos de saúdes, parques, bibliotecas, centros desportivos, porque a região Central é carente de áreas de lazer para a juventude.

Há demanda, na pior das hipóteses, para atender aos filhos de empregadas domésticas, daquelas pessoas que, muitas vezes, rejeitam qualquer tipo de intervenção por acreditarem que isso poderá criar desconforto na região. Muito obrigado”.